Otimize a Gestão Pública usando 3 indicadores

Publicado em | Gestão Pública Estratégica

“Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende. Ou seja, não há sucesso no que não se gerencia.”

adaptado de W. Edwards Deming - Consultor Americano

Tela de Relatórios - Sistema 1Doc_BLOG

Tela de Relatórios no 1Doc Governo

A cultura de resultados está presente em grandes empresas como Amazon, Netflix, Twitter e Google. Mas, por nem sempre ser tão fácil de colocar em prática, dificilmente a cultura de resultados é pensada como uma estratégia positiva também na gestão pública. A frase do Consultor Americano W. Edwards Deming, responsável por criar a autoridade do Japão como um grande player em tecnologia, é um claro resumo do quão importante podem ser os indicadores na gestão pública, se usados de forma precisa.

O desafio de encontrar e aplicar indicadores que traduzam de forma fiel o dia a dia de um Órgão Público pode parecer um complicador ou mesmo um impeditivo na hora de adaptar a cultura de resultados para o serviço público, mas contornar essa dificuldade inicial para usá-los a favor do gestor e, consequentemente, da gestão é primordial e bem mais fácil se você puder contar com ferramentas que ajudem na implementação. Hoje vamos destacar os 3 indicadores mais importantes da Gestão Pública para saber como começar a mudar a cultura dentro de sua Organização. 

Os indicadores

Imagine ver de forma clara, fácil e em real time como a entidade tem se saído ou mesmo como ela se saiu num período específico? Isso é cultura de resultados. Os clientes da plataforma 1Doc Governo já tem acesso a esses indicadores e com eles é possível classificar o desempenho de toda a equipe em três parâmetros:

  • Engajamento: e tudo que é pedido, qual a porcentagem do que é lido?
  • Eficiência: de tudo que é pedido e lido, qual a quantidade que é resolvido?
  • Qualidade: de tudo que é pedido, lido e resolvido, qual a qualidade da entrega?

 

Engajamento

O engajamento toma frente num processo crescente quando o foco são os servidores. Assim como numa empresa, eles também são parte fundamental para a agilidade do processo e sucesso da gestão. Além disso são como a alma do Órgão, pois fazem toda a interface cidadão-gestor acontecer.

  • Como anda o engajamento dos servidores na sua gestão?
  • Eles se sentem parte do processo?
  • Entendem exatamente quais são as participações deles e o quanto são fundamentais na eficiência da resolução de problemas cotidianos? 
  • Eles são analisados individualmente, por setor ou ambos?

Essas são apenas algumas perguntas que podem nortear este indicador. Quando o gestor tem a informação precisa de qual setor gera maior ou menor eficiência, qual tem o maior ou menor engajamento, é possível entender com precisão onde está o gargalo da resolução das demandas do dia a dia.

Eficiência

De que adianta ter um setor engajado mas pouco eficiente? Essa é uma dúvida que permeia qualquer gestão, seja pública ou privada. Acontece que entender a eficiência pode não ser tão fácil, principalmente quando as tarefas delegadas aos servidores são mais subjetivas do que operacionais.

O foco inicial deve ser entender o que pode ser considerado eficiência na sua gestão. Entre as perguntas que você pode construir para medir a eficiência estão:

  • Qual o índice de resolução de problemas que esse setor tem?
  • As demandas são realmente resolvidas ou só passadas para um setor diferente?
  • O que significa, efetivamente, resolver algo para esse setor?
  • Quem resolveu essa demanda - ou seja, quem é o servidor mais eficiente?

Qualidade

Outro indicador tão importante quanta a eficiência e o engajamento é a Qualidade. Entenda que, na gestão pública, quem mede a qualidade de um setor - e da gestão como um todo - é a população. Portanto, a qualidade deve ser um espaço onde a população possa se manisfestar, anônima ou nominalmente. Diferente das Gestões Privadas, os serviços públicos tem como premissa atender a população, logo ela é - e deve ser - parte dessa cultura de resultados. Perceba esse indicador como o termômetro da sua gestão, pois já que tudo é feito para servir o público, nada mais justo que eles possam avaliar.

 

Crescimento-Verde

 

Depois de coletadas essas informações, elas devem ser classificadas e consolidadas por setores para então buscar a média geral da administração. Tendo esses índices setorizados, fica fácil de encontrar os gargalos, entender os ônus - e os bônus - das prefeituras, deixando o processo decisório sobre melhorias e investimentos muito mais assertivo e justo. Os clientes da 1Doc Governo já tem acesso nativo a essa gama de indicadores, assim construir uma gestão baseada em resultados fica muito fácil.


« Ver todas as postagens






Compartilhe com um amigo